30.8 C
Teresina

Motoristas e cobradores voltam a paralisar atividades e Zona Sudeste de Teresina fica sem ônibus

Deve ler

Sesapi abastece regionais de saúde para Dia D da campanha de multivacinação

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) já enviou todas as vacinas para que os municípios façam a retirada nas regionais de saúde, e...

Professora inspira o protagonismo juvenil e transforma o clima escolar

“Gosto de ensinar, pois aprendo a cada dia com meus alunos e sinto prazer quando sei que estou ajudando de alguma forma”. Com esse...

Brasil goleia Uruguai em Manaus com show de Raphinha e Neymar

Se faltava convencer, agora não falta mais. O Brasil goleou o Uruguai por 4 a 1, nesta quinta-feira, em Manaus, com show de...

Polícia indicia estudante de medicina do Piauí pelos estupros de irmãs e prima

A Polícia Civil do Piauí indiciou o estudante de medicina, de 22 anos, em três inquéritos por estupro de vulnerável contra as irmãs de 3...
Corredor de ônibus em avenida no bairro Dirceu Arcoverde. — Foto: Divulgação/Prefeitura de Teresina

Corredor de ônibus em avenida no bairro Dirceu Arcoverde. — Foto: Divulgação/Prefeitura de Teresina

Os motoristas de ônibus e cobradores do Consórcio Theresina, que atuam na Zona Sudeste da capital, decidiram paralisar as atividades nesta sexta-feira (19), por falta de pagamento dos salários atrasados por parte do Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut).

G1 procurou o Setut, mas não recebeu posicionamento até a publicação desta reportagem.

Na última segunda-feira (15), motoristas e cobradores de ônibus do sistema de transporte público de Teresina decidiram suspender a greve da categoria que durava 35 dias, após uma audiência de conciliação promovida pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 22ª Região, entre os trabalhadores e o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut).

No acordo, os motoristas e cobradores se comprometeram a suspender a greve pelo período de 90 dias, com a condição de os empresários pagarem o salário referente ao mês de janeiro até quinta-feira (18), o que não aconteceu, segundo a categoria.

“A gente mais uma vez queria pedir desculpa aos passageiros de Teresina. Nós sabíamos que se não aceitássemos [a proposta dos empresários], teríamos que voltar a trabalhar do mesmo jeito. Então aceitamos e até meia-noite de ontem esperamos receber o dinheiro. A gente trabalha aqui para não receber. Nós fizemos a nossa parte e voltamos”, afirmou o motorista Antônio Cardoso em entrevista para a TV Clube.

O motorista destacou ainda que o Setut não tem dialogado com a categoria e que eles só retornarão ao trabalho se receberem o pagamento.

“Não há dialogo entre trabalhador e Setut e a gente aguenta tudo, mas não tem diálogo. Estamos dispostos a conversar, mas por parte dos empresários e do Setut não tem isso. A gente só volta a trabalhar se a gente receber dinheiro, porque a Transcol pagou para os seus trabalhadores”, disse Antônio Cardoso.

Intervenção da Justiça

Prédio do Tribunal Regional do Trabalho — Foto: Divulgação

Prédio do Tribunal Regional do Trabalho — Foto: Divulgação

A presidente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) do Piauí, desembargadora Liana Ferraz, informou que iria determinar o fim da greve na terça-feira (16), caso a categoria não aceitasse o acordo proposto.

A desembargadora afirmou que iria determinar o retorno dos trabalhadores aos postos de trabalho por uma liminar. “Serviços essenciais não ficam entre os empresários e o trabalhador”, afirmou.

A greve

Motoristas e cobradores de ônibus protestam por falta de pagamento em Teresina — Foto: TV Clube

Motoristas e cobradores de ônibus protestam por falta de pagamento em Teresina — Foto: TV Clube

As reivindicações dos motoristas e cobradores de ônibus são os salários atrasados e o pagamento de benefícios, como ticket alimentação e plano de saúde, que não foram pagos desde o início da pandemia.

Do outro lado, as empresas do sistema afirmam que, por conta da queda na movimentação de pessoas pela cidade causada pela pandemia de coronavírus, o faturamento caiu impossibilitando o pagamento dos trabalhadores.

As empresas afirmam ainda que a Prefeitura de Teresina deixou de fazer o repasse do subsídio referente ao preço da passagem de ônibus por dez meses em 2020. A dívida chegou a cerca de R$ 20 milhões. A Prefeitura aceitou pagar o débito de forma parcelada.

Fonte: G1 Piauí

Mais Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui

Últimas notícias

Sesapi abastece regionais de saúde para Dia D da campanha de multivacinação

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) já enviou todas as vacinas para que os municípios façam a retirada nas regionais de saúde, e...

Professora inspira o protagonismo juvenil e transforma o clima escolar

“Gosto de ensinar, pois aprendo a cada dia com meus alunos e sinto prazer quando sei que estou ajudando de alguma forma”. Com esse...

Brasil goleia Uruguai em Manaus com show de Raphinha e Neymar

Se faltava convencer, agora não falta mais. O Brasil goleou o Uruguai por 4 a 1, nesta quinta-feira, em Manaus, com show de...

Polícia indicia estudante de medicina do Piauí pelos estupros de irmãs e prima

A Polícia Civil do Piauí indiciou o estudante de medicina, de 22 anos, em três inquéritos por estupro de vulnerável contra as irmãs de 3...

Muro de galpão cai em cima de carros e teto de ginásio desaba durante temporal em Água Branca

Um temporal foi registrado na tarde desta sexta-feira (15) na cidade de Água Branca, a 90 km de Teresina. O fenômeno durou cerca de 20...