26.8 C
Teresina

Motoristas e cobradores voltam a paralisar atividades e Zona Sudeste de Teresina fica sem ônibus

Deve ler

Interpi lança biblioteca virtual com registros fundiários históricos nesta sexta (5)

Será realizado, nesta sexta-feira (05), no Auditório do Núcleo de Práticas Jurídicas da Universidade Federal do Piauí (UFPI), o lançamento da Biblioteca Virtual de...

Vacina contra Covid-19 em Teresina: veja quem pode ser vacinado hoje e o que fazer

A Prefeitura de Teresina começou a vacinação contra a Covid-19 no dia 19 de janeiro de 2021 e vem ampliando o público-alvo conforme chegam novas...

Casos de dengue têm aumento de quase 50% em relação a 2020 no Piauí

O Piauí já registrou 2.654 casos de dengue em 2021. O número é 44% maior que os casos registrados no mesmo período do ano...

Wellington Dias apresentará Edital PRO Verde na COP26

O governador do Piauí e presidente do Consórcio Nordeste, Wellington Dias, participará da 26ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP26), que...
Corredor de ônibus em avenida no bairro Dirceu Arcoverde. — Foto: Divulgação/Prefeitura de Teresina

Corredor de ônibus em avenida no bairro Dirceu Arcoverde. — Foto: Divulgação/Prefeitura de Teresina

Os motoristas de ônibus e cobradores do Consórcio Theresina, que atuam na Zona Sudeste da capital, decidiram paralisar as atividades nesta sexta-feira (19), por falta de pagamento dos salários atrasados por parte do Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut).

G1 procurou o Setut, mas não recebeu posicionamento até a publicação desta reportagem.

Na última segunda-feira (15), motoristas e cobradores de ônibus do sistema de transporte público de Teresina decidiram suspender a greve da categoria que durava 35 dias, após uma audiência de conciliação promovida pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 22ª Região, entre os trabalhadores e o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut).

No acordo, os motoristas e cobradores se comprometeram a suspender a greve pelo período de 90 dias, com a condição de os empresários pagarem o salário referente ao mês de janeiro até quinta-feira (18), o que não aconteceu, segundo a categoria.

“A gente mais uma vez queria pedir desculpa aos passageiros de Teresina. Nós sabíamos que se não aceitássemos [a proposta dos empresários], teríamos que voltar a trabalhar do mesmo jeito. Então aceitamos e até meia-noite de ontem esperamos receber o dinheiro. A gente trabalha aqui para não receber. Nós fizemos a nossa parte e voltamos”, afirmou o motorista Antônio Cardoso em entrevista para a TV Clube.

O motorista destacou ainda que o Setut não tem dialogado com a categoria e que eles só retornarão ao trabalho se receberem o pagamento.

“Não há dialogo entre trabalhador e Setut e a gente aguenta tudo, mas não tem diálogo. Estamos dispostos a conversar, mas por parte dos empresários e do Setut não tem isso. A gente só volta a trabalhar se a gente receber dinheiro, porque a Transcol pagou para os seus trabalhadores”, disse Antônio Cardoso.

Intervenção da Justiça

Prédio do Tribunal Regional do Trabalho — Foto: Divulgação

Prédio do Tribunal Regional do Trabalho — Foto: Divulgação

A presidente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) do Piauí, desembargadora Liana Ferraz, informou que iria determinar o fim da greve na terça-feira (16), caso a categoria não aceitasse o acordo proposto.

A desembargadora afirmou que iria determinar o retorno dos trabalhadores aos postos de trabalho por uma liminar. “Serviços essenciais não ficam entre os empresários e o trabalhador”, afirmou.

A greve

Motoristas e cobradores de ônibus protestam por falta de pagamento em Teresina — Foto: TV Clube

Motoristas e cobradores de ônibus protestam por falta de pagamento em Teresina — Foto: TV Clube

As reivindicações dos motoristas e cobradores de ônibus são os salários atrasados e o pagamento de benefícios, como ticket alimentação e plano de saúde, que não foram pagos desde o início da pandemia.

Do outro lado, as empresas do sistema afirmam que, por conta da queda na movimentação de pessoas pela cidade causada pela pandemia de coronavírus, o faturamento caiu impossibilitando o pagamento dos trabalhadores.

As empresas afirmam ainda que a Prefeitura de Teresina deixou de fazer o repasse do subsídio referente ao preço da passagem de ônibus por dez meses em 2020. A dívida chegou a cerca de R$ 20 milhões. A Prefeitura aceitou pagar o débito de forma parcelada.

Fonte: G1 Piauí

Mais Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui

Últimas notícias

Interpi lança biblioteca virtual com registros fundiários históricos nesta sexta (5)

Será realizado, nesta sexta-feira (05), no Auditório do Núcleo de Práticas Jurídicas da Universidade Federal do Piauí (UFPI), o lançamento da Biblioteca Virtual de...

Vacina contra Covid-19 em Teresina: veja quem pode ser vacinado hoje e o que fazer

A Prefeitura de Teresina começou a vacinação contra a Covid-19 no dia 19 de janeiro de 2021 e vem ampliando o público-alvo conforme chegam novas...

Casos de dengue têm aumento de quase 50% em relação a 2020 no Piauí

O Piauí já registrou 2.654 casos de dengue em 2021. O número é 44% maior que os casos registrados no mesmo período do ano...

Wellington Dias apresentará Edital PRO Verde na COP26

O governador do Piauí e presidente do Consórcio Nordeste, Wellington Dias, participará da 26ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP26), que...

Motoristas do transporte alternativo intermunicipal do Piauí fazem protesto no Palácio do Karnak

Um grupo de motoristas que fazem transporte alternativo de passageiros entre cidades do Piauí, o chamado transporte alternativo municipal, iniciou um protesto em frente...