24.8 C
Teresina

Greve no transporte público de Teresina completa um mês; empresas aguardam repasse da prefeitura

Deve ler

Interpi lança biblioteca virtual com registros fundiários históricos nesta sexta (5)

Será realizado, nesta sexta-feira (05), no Auditório do Núcleo de Práticas Jurídicas da Universidade Federal do Piauí (UFPI), o lançamento da Biblioteca Virtual de...

Vacina contra Covid-19 em Teresina: veja quem pode ser vacinado hoje e o que fazer

A Prefeitura de Teresina começou a vacinação contra a Covid-19 no dia 19 de janeiro de 2021 e vem ampliando o público-alvo conforme chegam novas...

Casos de dengue têm aumento de quase 50% em relação a 2020 no Piauí

O Piauí já registrou 2.654 casos de dengue em 2021. O número é 44% maior que os casos registrados no mesmo período do ano...

Wellington Dias apresentará Edital PRO Verde na COP26

O governador do Piauí e presidente do Consórcio Nordeste, Wellington Dias, participará da 26ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP26), que...

A greve dos motoristas e cobradores de ônibus que atuam no transporte coletivo de Teresina completou um mês nesta segunda-feira (8). Os trabalhadores reivindicam pagamento de salário atrasado, ticket alimentação, plano de saúde e a assinatura da convenção coletiva de trabalho.

Procurada pelo G1, a Prefeitura de Teresina afirmou que ainda não tem uma previsão de quando o repasse será feito para as empresas.

Do outro lado, as empresas, de acordo com o Sindicato das Empresas do Transporte Urbano de Teresina (Setut), afirmam que não podem atender as demandas da categoria sem os repasses da prefeitura.

Além do repasse, o Setut afirmou que buscará mais recursos, através do sistema bancário, para poder efetuar o pagamento das folhas de janeiro e fevereiro.

O sindicato das empresas de ônibus espera que, ao colocar os salários dos trabalhadores em dia, a greve seja suspensa e a frota de ônibus volte a sua normalidade.

Sem acordo

Motoristas e cobradores durante protesto na Avenida Frei Serafim, Centro de Teresina — Foto: Francisco Lima/TV Clube

Motoristas e cobradores durante protesto na Avenida Frei Serafim, Centro de Teresina — Foto: Francisco Lima/TV Clube

De acordo com o secretário de previdência e assistência social do Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Público (Sintetro), Francisco Souza, não há diálogo entre empresas e trabalhadores.

O sindicalista disse que a categoria só volta ao trabalho após a garantia do recebimento dos salários atrasados e assinatura da convenção coletiva de trabalho.

“Já são trinta dias de greve e nenhum acordo foi assinado até agora. Infelizmente não há diálogo. Se as empresas pagarem os salários atrasados e assinarem a convenção coletiva a gente volta ao trabalho”, afirmou Francisco.

Repasses da prefeitura

O Setut informou, em coletiva de imprensa na sexta-feira (5), que decidiu aceitar a proposta da prefeitura de parcelar o débito que ela tem com as empresas, em uma entrada e 20 parcelas.

O débito, referente a um subsídio pago pela prefeitura para manter o valor da tarifa estipulada pelo poder público municipal, soma cerca de R$ 20 milhões.

Conforme as empresas de ônibus, a prefeitura de Teresina teria deixado de pagar esse subsídio por dez meses. As empresas decidiram aceitar a seguinte proposta:

  • Entrada de R$ 1,6 milhão;
  • 20 parcelas de R$ 970 mil;

Convenção Coletiva

Um dos pontos de maior impasse entre o sindicato dos trabalhadores e o sindicato das empresas é a assinatura da convenção coletiva de trabalho, um acordo firmado entre empresas e trabalhadores, que estabelece direitos e deveres entre as partes.

O secretário de previdência e assistência social do Sintetro pontua a importância da convenção coletiva para os trabalhadores do transporte coletivo de Teresina.

“Sem a assinatura da convenção coletiva de trabalho, as empresas podem estabelecer as regras que bem entenderem e que sejam mais vantajosas para as empresas, desde a jornada de trabalho até mesmo o salário dos trabalhadores”, completou Francisco Souza.

*Naftaly Nascimento, estagiária sob a supervisão de Lucas Marreiros.

Fonte: G1 Piauí

Mais Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui

Últimas notícias

Interpi lança biblioteca virtual com registros fundiários históricos nesta sexta (5)

Será realizado, nesta sexta-feira (05), no Auditório do Núcleo de Práticas Jurídicas da Universidade Federal do Piauí (UFPI), o lançamento da Biblioteca Virtual de...

Vacina contra Covid-19 em Teresina: veja quem pode ser vacinado hoje e o que fazer

A Prefeitura de Teresina começou a vacinação contra a Covid-19 no dia 19 de janeiro de 2021 e vem ampliando o público-alvo conforme chegam novas...

Casos de dengue têm aumento de quase 50% em relação a 2020 no Piauí

O Piauí já registrou 2.654 casos de dengue em 2021. O número é 44% maior que os casos registrados no mesmo período do ano...

Wellington Dias apresentará Edital PRO Verde na COP26

O governador do Piauí e presidente do Consórcio Nordeste, Wellington Dias, participará da 26ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP26), que...

Motoristas do transporte alternativo intermunicipal do Piauí fazem protesto no Palácio do Karnak

Um grupo de motoristas que fazem transporte alternativo de passageiros entre cidades do Piauí, o chamado transporte alternativo municipal, iniciou um protesto em frente...