34.8 C
Teresina

PF investiga empresários em Teresina suspeitos de esquema com 6 mil testes rápidos

Deve ler

Sesapi abastece regionais de saúde para Dia D da campanha de multivacinação

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) já enviou todas as vacinas para que os municípios façam a retirada nas regionais de saúde, e...

Professora inspira o protagonismo juvenil e transforma o clima escolar

“Gosto de ensinar, pois aprendo a cada dia com meus alunos e sinto prazer quando sei que estou ajudando de alguma forma”. Com esse...

Brasil goleia Uruguai em Manaus com show de Raphinha e Neymar

Se faltava convencer, agora não falta mais. O Brasil goleou o Uruguai por 4 a 1, nesta quinta-feira, em Manaus, com show de...

Polícia indicia estudante de medicina do Piauí pelos estupros de irmãs e prima

A Polícia Civil do Piauí indiciou o estudante de medicina, de 22 anos, em três inquéritos por estupro de vulnerável contra as irmãs de 3...

A Polícia Federal, com o apoio da Controladoria-Geral da União, deflagrou, na manhã desta terça-feira, nas cidades de Teresina, e Pinheiro/MA, a Operação Estoque Zero, com a finalidade de desarticular grupo criminoso estruturado para promover fraudes licitatórias e irregularidades contratuais no âmbito do Município de Pinheiro/MA, envolvendo recursos públicos federais que seriam utilizados no combate à pandemia da COVID-19.

A investigação se concentra no Processo nº 2.653/2020 da Secretaria Municipal de Saúde e Saneamento de Pinheiro/MA, instruído para a aquisição de 6.000 testes rápidos para o diagnóstico da COVID-19, no valor total de R$ 960.000,00. Os elementos colhidos pela equipe policial revelaram que funcionários da Secretaria de Saúde e Saneamento de Pinheiro/MA, em conluio com empresários de Teresina/PI, simularam a compra e venda de testes rápidos, por meio da contratação de empresa de fachada que não forneceu o objeto pactuado.

A Polícia Federal cumpriu cinco mandados de Busca e Apreensão, quatro mandados de Constrição Patrimonial e um mandado de Suspensão do Exercício de Função Pública.

Ao todo, 30 policiais federais cumpriram as determinações judiciaisexpedidas pela 1ª Vara Federal de São Luís, que decorreram de uma representação elaborada pela Polícia Federal.

Se confirmadas as suspeitas, os investigados poderão responder por fraude à licitação, peculato, lavagem de capitais e associação criminosa.

A denominação “Estoque Zero” faz referência à inexistência da mercadoria objeto do contrato, tendo em vista que a empresa não possuía sequer uma única
unidade de teste rápido em seu estoque na época da suposta venda.

Mais Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui

Últimas notícias

Sesapi abastece regionais de saúde para Dia D da campanha de multivacinação

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) já enviou todas as vacinas para que os municípios façam a retirada nas regionais de saúde, e...

Professora inspira o protagonismo juvenil e transforma o clima escolar

“Gosto de ensinar, pois aprendo a cada dia com meus alunos e sinto prazer quando sei que estou ajudando de alguma forma”. Com esse...

Brasil goleia Uruguai em Manaus com show de Raphinha e Neymar

Se faltava convencer, agora não falta mais. O Brasil goleou o Uruguai por 4 a 1, nesta quinta-feira, em Manaus, com show de...

Polícia indicia estudante de medicina do Piauí pelos estupros de irmãs e prima

A Polícia Civil do Piauí indiciou o estudante de medicina, de 22 anos, em três inquéritos por estupro de vulnerável contra as irmãs de 3...

Muro de galpão cai em cima de carros e teto de ginásio desaba durante temporal em Água Branca

Um temporal foi registrado na tarde desta sexta-feira (15) na cidade de Água Branca, a 90 km de Teresina. O fenômeno durou cerca de 20...