26 C
Teresina

Polícia localiza bebê desaparecido há 30 dias após adoção ilegal no Piauí

Deve ler

Na UTI com Covid-19, Paulo Gustavo tem ‘sinais de melhora’, diz assessoria

O ator Paulo Gustavo, de 42 anos, que está internado com Covid-19 em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e sob ventilação mecânica no...

Documentário da Netflix sobre Pelé consolida ou prejudica o legado do Rei?

Não é fácil assistir a um Pelé confuso, se embaralhando durante uma entrevista, precisando do auxílio de um andador, que o ex-jogador empurra com dificuldade. Essas cenas...

Barcelona tem show com 5 mil pessoas após fazer testes de Covid-19 em todos

Fãs de música se abraçaram, dançaram e cantaram em um show de rock com ingressos esgotados em Barcelona na noite deste sábado, depois de...

Capacete usado nas gravações de Star Wars vai a leilão por R$ 790 mil

Vários itens de filmes históricos vão a leilão em uma galeria na Alemanha. Um deles é o capacete de um stormtrooper utilizado nas filmagens...

A Polícia Civil de Palmeirais localizou, na tarde desta quinta-feira (10), o bebê que estava desaparecido após uma adoção ilegal.  O menino, que nasceu em outubro, foi entregue pela mãe  três dias após o nascimento para outra família, mas ela se arrependeu e, quando foi atrás do filho, não teve notícias do seu paradeiro. O desaparecimento durou 30 dias.

O delegado Thiago Silva disse ao Cidadeverde.com que o bebê foi levado pela mulher que havia lhe adotado ilegalmente para delegacia de Amarante, a 37 Km de Palmeirais. “Deu trabalho, mas localizamos. Por ordem do Ministério Público a criança foi  devolvida para a mãe biológica, o que acabou frustrando o trabalho da polícia porque o bebê deveria ser entregue para mãe após ela provar que tem condições de cuidar dele”, disse o delegado.

As primeirais informações são de que a criança estava em Teresina. Fotos mostram o momento do reencontro da mãe com o filho nesta tarde. Emocionada, ela abraça o bebê.

O delegado Thiago lembra que o processo de adoção deve ser feito de forma legal.

A gestante ou mãe que deseja entregar seu filho recém-nascido para adoção tem esse direito garantido em lei desde 2017. Mas a entrega deve ser legal. Essa entrega é destinada pela justiça da infância e juventude  para alguém que está no cadastro nacional de adotantes.

Fonte: Cidade Verde

Mais Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui

Últimas notícias

Na UTI com Covid-19, Paulo Gustavo tem ‘sinais de melhora’, diz assessoria

O ator Paulo Gustavo, de 42 anos, que está internado com Covid-19 em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e sob ventilação mecânica no...

Documentário da Netflix sobre Pelé consolida ou prejudica o legado do Rei?

Não é fácil assistir a um Pelé confuso, se embaralhando durante uma entrevista, precisando do auxílio de um andador, que o ex-jogador empurra com dificuldade. Essas cenas...

Barcelona tem show com 5 mil pessoas após fazer testes de Covid-19 em todos

Fãs de música se abraçaram, dançaram e cantaram em um show de rock com ingressos esgotados em Barcelona na noite deste sábado, depois de...

Capacete usado nas gravações de Star Wars vai a leilão por R$ 790 mil

Vários itens de filmes históricos vão a leilão em uma galeria na Alemanha. Um deles é o capacete de um stormtrooper utilizado nas filmagens...

Hospital do Dirceu recebe tanque de oxigênio para pacientes com Covid-19, em Teresina

O Hospital do Dirceu, na Zona Sudeste de Teresina, recebeu um novo tanque de oxigênio neste domingo (28). Segundo a Fundação Municipal de Saúde...